Driveclub – Análise

driveclubUltrapassados os problemas iniciais nos servidores da Evolution Studios, onde diversos, senão todos, os jogadores estavam impossibilitados de jogar online, aqui está a análise ao primeiro verdadeiro jogo de corrida para a PS4.
Comecemos pela história, nós somos um clube de corredores que anda a passear pelo planeta a fazer corridas para ganhar pontos para o nosso clube e para subirmos de nível. Pronto, acabou a história. A história do jogo resume-se a isto, nada demais para um jogo de corridas, o habitual.

 

 

A nível gráfico temos uma revolução, está tudo lindo de morrer, desde os detalhes dos carros até aos edifícios e pistas, está tudo praticamente perfeito. Não há uma única pixilização nas sombras ou em qualquer outra parte, está tudo bastante bem conseguido. Nos carros é possível personalizar o aspecto em praticamente todas as formas, desde pintura, são centenas de cores disponíveis, até aos decalques que é possível colocar. Existem quatro predefinições de visual que podem ser alterados e antes de cada corrida podemos escolher como queremos que o nosso carro pareça. Os padrões de pintura vão sendo desbloqueados à medida que vamos progredindo no jogo.

A meteorologia também está bastante boa, a noite é noite, mas é durante o dia que o melhor acontece, o sol consegue encandear quando está de frente, a chuva no pára-brisas escorre consoante a velocidade a que viajamos e até temos o choque visual que ocorre quando vamos num túnel e saímos a grande velocidade.

Temos 50 carros diferentes para conduzir em 55 pistas diferentes, que vão desde o Mini John Copper Works ao Mono, passando por Ferraris, Mercedes, Audis, Renaults, Volkswagen, etc é só escolher o que queremos conduzir, desportivo, citadino ou Hot Rod. Cada carro tem a sua alma e espírito individualizado, a forma de conduzir um Clio RS é bastante diferente de conduzir um Mercedes AMG. A jogabilidade é bastante boa, embora sinta que falta o famoso “Ready, Set, Go” ou “3, 2, 1”, é que não há nada que diga quando é para arrancar, surge apenas no ecrã a informação para estarmos preparados e depois é carregar no acelerador e queimar o arranque, temporizar bem a aceleração ou esperar que os outros arranquem para iniciar, o que sinceramente influencia a jogabilidade.

Tal como disse na pequena introdução, neste momento podemos dizer que os servidores estão a responder bem, embora haja algumas excepções, e já estão implementadas todas as funcionalidades, nomeadamente as funções sociais e até a meteorologia. Ainda se notam algumas quebras na performance dos servidores, quando a corrida tem muitos jogadores é um pouco lento a preparar a corrida, por vezes não é possível juntar-se a um Club e a meio de uma corrida “caí” dos servidores, nada demais, mas tem de ser revisto para se poder dizer que é actualmente o jogo de corridas da PS4. Em termos de simulação, neste momento, não existe nada melhor na PS4.

A nível de sonoridade não há muito a dizer, os sons dos carros estão realistas, o chiar dos pneus impressiona até que não está habituado a gostar de jogos de simulação de corrida. A música? Bem pode-se dizer que é algo repetitiva, mas num jogo deste tamanho, tem mesmo de ser, há algumas faixas de música, mas nada de especial.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *