God of War 3 Remastered

 

God of War

Na sua primeira incursão na nova geração, Kratos vez a sua imagem melhorada para 1080p e 60fps. Pode não parecer que faz a diferença entre a PS3 e a PS4, mas faz e isso notasse bastante. Quem já jogou na PS3 vai notar alguma nostalgia, até porque o jogo é exactamente o mesmo, sem tirar nem por um boss ou inimigo noutro sítio, quem não jogou na PS3 vai gostar do que vai ver. Se não jogou nenhum título anterior, pode parecer que entrou no meio da história (e entrou mesmo) e não vai perceber algumas partes, por isso, aqui vai a história dos títulos anteriores.

 

Kratos é um general de Esparta que leva o seu exercito a diversas vitórias e glórias, até que um dia se vê rodeado por um grupo de bárbaros. Prestes a ser assassinado pelo rei dos bárbaros, pede ao deus da guerra, Ares, para livrá-lo da morte e dar-lhe poderes para matar os seus inimigos em troca jura servidão durante a sua vida.

Ares ouve a sua prece e queima o exército bárbaro e dá a Kratos as Lâminas do Caos, este regressa para decapitar o rei bárbaro. Kratos sai vitorioso de todas as guerras gregas até que uma dessas guerras acontece numa aldeia adoradora de Atenas. Ares coloca a sua mulher e a sua filha no meio da aldeia e ordena a Kratos que mate todos os habitantes, a sua esposa e filha acabam por morrer acidentalmente às suas mãos. Ares pensava que iria formar o guerreiro perfeito, no entanto Kratos renuncia à servidão de Ares. O Oráculo da aldeia destruída amaldiçoa Kratos tornando a sua pele branca utilizando as cinzas da sua família. A partir daquele momento irá ser conhecido como o “Fantasma de Esparta”.

A partir desse momento, Kratos é constantemente aterrorizado com pesadelos do seu horrível acto e como tal compromete-se a servir os outros deuses do Olimpo durante 10 anos. Cansado da sua servitude, Kratos convoca Atena que lhe incumbe uma tarefa final de forma a livrar-se dos pesadelos, assassinar Ares.

Kratos é então guiado até Atenas que está circundada de servos de Ares e abre caminho até ao Oráculo que foi sequestrado por Harpias. O Oráculo informa então Kratos que para matar Ares, vai precisar de usar a “Caixa de Pandora”. Depois de atravessar o Deserto das Almas, Kratos convoca Cronos que carrega o tempo de Pandora nas suas costas, um castigo imposto por Zeus a Cronos. Kratos demora 3 dias a escalar o templo até atingir a sua entrada, após entrar e depois de diversas batalhas, ao sair do templo com a caixa, Kratos é assassinado por Ares. Kratos cai no submundo de Hades e após diversas batalhas e a ajuda de um misterioso coveiro, sai do submundo e retorna a Atenas.

Após recuperar a caixa a Ares, abre-a e obtém os poderes de um deus que os utiliza para matar o próprio deus Ares. Antes de morrer Ares retirou as lâminas do caos a Kratos e utilizou-as para “re-matar” a sua família. Atenas informa-o que os pesadelos nunca irão passar, como tal Kratos lança-se ao mar Egeu a partir da montanha mais alta da Grécia de forma a cometer suicídio. É salvo por Atenas que o leva para o monte Olimpo, recompensa-o com as Lâminas de Atenas e assim se torna no novo Deus da Guerra.

 

Agora que já sabe o que se passou vamos à análise. O jogo começa no ataque ao Olimpo pelos Titãs e acaba com o confronto entre Kratos e Zeus. Pelo meio vai passar por diversas áreas da mitologia grega enfrentando Minotauros, Medusas, Ciclopes, e deuses, desde Hades a Hera, passando por semi-deuses como Hércules (meio-irmão de Kratos) e resolvendo diversos puzzles.

Os combates são do melhor que podia existir na PS3 com sangue a escorrer por todo o lado e faíscas a sair das lâminas quando batem no chão ou em armaduras. Os efeitos de luz estão mais detalhados nesta nova versão, o que na versão PS3 estava espectacular, na versão PS4 ainda está melhor. Uma nota para algo que não está tão bom, há uma área em que Kratos está a subir a uma velocidade alucinante e vão caindo pedras em chamas, há grandes pixéis à volta das detalhadas pedras, são mesmo quadrados enormes à volta das pedras, ao estilo Minecraft.

O som é o que mais impressiona, realistas quanto baste e a música não é repetitiva, o que às vezes é o calcanhar de Aquiles (visto que estamos a falar da Grécia antiga, pareceu-me apropriado) de alguns títulos, aqui impressiona. O jogo está totalmente localizado para português com vozes de actores como Ricardo Carriço (Kratos), Carla Chambel (Afrodite) e José Fidalgo (Hermes).

A jogabilidade está ao nível dos outros jogos do género, tens de fazer isto, resolver aquilo, matar aquele e premir este interruptor. No modo fácil é tudo muito fácil, matar um Minotauro com meia dúzia de golpes, destruir um deus com uma dúzia, tudo muito simples e bom para quem gosta de acabar um jogo sem muito esforço. Já no modo Titã estamos a falar de uma dificuldade elevada. Só para verem, no modo fácil só morri quando já estava na segunda área (com uns 25 minutos de jogo) e foi porque caí de um precipício, no modo Titã, morri 2 vezes nos primeiros inimigos (cerca de 5 minutos de jogo).

A longevidade é alcançada com uma história longa e muito rica como a própria mitologia grega. Quando se completa o jogo pela primeira vez, são desbloqueadas algumas opções de jogo novas, nomeadamente os Desafios que aumentam, em muito, as horas de jogo. No modo de dificuldade intermédio, o jogo demora cerca de 10 horas a completar, desde que se apanhe todas as relíquias e todos os upgrades.

 

Resumindo e concluindo, quem tiver a versão PS3 não vale a pena comprar esta nova versão que nada de novo trás. Se não tiver a versão anterior, corra para uma loja e compre este jogo, é um dos jogos “must have” da actualidade para a PS4.

5 thoughts on “God of War 3 Remastered

  1. Agreed, I love Bare Minerals warmth. It works great as a bronzer and yes, Ham, in very small amounts and NOT as a blush. I have to say that I don’t get Kath and the make up. She seems like she’d be the type that didn’t wear any at all. But when she does, she puts so much on. Yet, leaves out important things like mascara and an eye brow pencil. So she looks like a freak show of all cheeks and lips with no eyes or eyebrows.

  2. i mean, what about people who smoke but aren’t assholes about it? like someone who won’t smoke around you if they knew you were uncomfortable? besides, i’ve never honestly heard of someone actually dying from secondhand smoke unless it came from a risk computer. i mean unless you were to purposely surround yourself with a whole room of people smoking cigarettes with all windows locked and you standing in the middle of it lol Reply

  3. In a weird way, this "mischling meltdown" helps, because it forces the reader to choose sides.I was thinking the same thing, but in a broader sense. If you balk at ANTI-SEMITISM!!!, you're not really a White Advocate. You're a conservative.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *